sexta-feira, 27 de março de 2015

POR TUDO E POR NADA

Por Saulo H. S. Silva
(Para Maria Ivete de Souza Vinicius)
(Foto de 2012, acervo próprio)
             De dentro de ti eu saí por mundo bem pequenino
E logo tu ouviste meus primeiros sopros de vida,
Naquela madrugada do primeiro dia de agosto.
Desde então, nossos destinos foram interlaçados
Pelo amor e pelo desafio de aceitar o oposto.
Afinal, éramos tão iguais quanto heterogêneos.
E assim passou tão depressa o nosso tempo...
Que hoje só queria rapidamente poder retrocedê-lo
À aurora de nossas vidas: bela, verdadeira e curta!
Fomos mais felizes quando nossas divergências
Se enfraqueceram pela força conciliatória do amor.
Pois, cuidar de ti era tarefa que impus ao meu destino,
Queria retribuir a tudo que fizera por um ser tão teimoso
Quanto  este renitente que tais versos sofridos escreve.
E assim qualquer dor que por acaso te acometesse
Também era a minha dor, meu verdadeiro sofrimento.
Provavelmente nunca amei alguém tão desinteressado!
Simplesmente, ligava quase todos os dias com o anseio
De ouvir sua vozinha dizendo: está tudo bem meu filho!
E aquela voz era o remédio que me trazia a paz de cada dia.
Mas, quis a fortuna ingrata e traiçoeira que nos meus braços
Aquela mãezinha que meu deu a vida partisse da vida
E o meu choro que ela ouviu no momento da natalidade
Dela também ouvi, mas era triste e misturado às derradeiras palavras.
Fora a dor mais cruel, implacável e indescritível que já senti!
Como se parte de mim morresse também naquele instante.
Porém mãezinha, eu não guardarei comigo esse momento.
 Ficarei com a eterna imagem de sua alegria sincera
E dos teus aconselhamentos sérios e verdadeiros.
Guardar-te-ei, Dona Ivete, como tu eras: feliz, verdadeira e honesta.
E se de fato existir uma outra vida além desta que ainda vivo,
Como se apregoa desde o tempo dos sábios antigos,
Espero que no momento em que eu “passar dessa para melhor”
Seja a senhora que me conduza à nossa nova morada.
Afinal, o amor superar tudo, inclusive a sua ausência!

Nenhum comentário: