quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

VORAZ É O DELEITE

Por, Saulo H. S. Silva   

[Nu reclinado de Lovis Corinth, pintor alemão que viveu entre 1858-1925]  

Sei que não a tenho efetivamente ,
Mas a imagino todos os dias
Lânguida e torpe em minha cama,
Completamente DESNUDA,
Na expectativa dos meus passos!
Voraz é o deleite desse sonho
Que se realiza nas curvas sinuosas,
De corpo tão caliente quanto o clima
Da cidade que tintura a sua pele
Com as cores da mais pura volúpia.
E assim, desfruto FAMINTO  
O maná que colho entre tuas pernas
Como alguém que tanto espera
Pelo selvagem prazer dessa hora
Em que o homem sorri enquanto goza! 

Nenhum comentário: