sábado, 15 de março de 2014

SEU CLONE


Allan Tenório Bastos de Oliveira



[Ismael Nery, o Luar (1925). Fazendo uso da técnica de óleo sobre
cartão, este quadro de Nery mostra a simbiose de dois seres,
cuja amálgama desdenha a dor e os sentimentos].  


Hoje estou sem sentimentos
Sem lamentos
Sem sofrimentos
Sem tormentos.

Hoje me tornei seu clone
Um cone
Sem nome
Que não come.

Hoje não vivi por você
Sem sofrer
Sem temer
Sem te querer.

Hoje me tornei uma pedra
Que se quebra
Sua trégua
Minha queda.

Hoje me tornei você
Sem chorar
Sem amar
Sem sonhar.


Nenhum comentário: