sábado, 23 de março de 2013

MUITO OBRIGADA



Por, Maíra Magno


Tela A primeira bailarina  do pintor francês Edgar Degas (1834-1917)

Muito obrigada, eu não quero o seu deus, a realidade já me basta.
Muito obrigada, eu não quero a imortalidade, uma existência já me basta.
Muito obrigada, eu não quero a perfeição, meus defeitos já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero a sua Bíblia, os meus livros já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero o seu medo, minha coragem já me basta.
Muito obrigada, eu não quero os seus dogmas, meu ceticismo já me basta.
Muito obrigada, eu não quero as suas regras, minha liberdade já me basta.
Muito obrigada, eu não quero os seus conselhos, minhas tentativas já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero as sua orações, minhas atitudes já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero seus sacerdotes, meus ídolos já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero sua crença, minha inteligência já me basta.
Muito obrigada, eu não quero o seu exemplo, minha vida já me basta.
Muito obrigada, eu não quero os seus santos, meus amigos já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero o seu pudor, a minha luxuria já me basta.
Muito obrigada, eu não quero a sua vergonha, a minha libertinagem já me basta.
Muito obrigada, eu não quero os seus anjos, os seres humanos já me bastam.
Muito obrigada, eu não quero os seus hinos, o canto dos pássaros já me basta.
Muito obrigada, eu não quero a sua luz, a penumbra já me basta.
Muito obrigada, eu não quero a sua salvação, na verdade nem me sinto perdida.
Me desculpe, mas eu não quero nada além da minha existência falha, humana e finita!

3 comentários:

Maíra Magno disse...

muito obrigada saulo

Maíra Magno disse...

muito obrigada saulo

Maíra Magno disse...

muito obrigada saulo