sábado, 23 de fevereiro de 2013

CARNE, OSSOS E CARTILAGENS



Por, Saulo Henrique Souza Silva


Pintura do inglês William Hogarth (1697-1764)


Eu sou demasiadamente homem
Sou carne, sou ossos e cartilagens,
Sentimentos, raivas e angustias.
Sou a vaidade, às vezes o desânimo!

Eu sou completamente matéria
E espero estar bem certo disso,
Pois desprezo a ideia de eternidade,
Quero somente a plenitude do agora!

De que me vale todas as falsas ideias,
O confabular renitente com o imprevisto?
Não sou luz, nem sou trevas ou nevoeiro:
Eu quero sim é dos rótulos estar liberto!

Afinal, de que me vale tantas vãs palavras,
Quando a morte não margeia minha porta?
Não sou a empáfia, sou adepto do razoável:
E aquilo que me desperta é meu único alvo!




Um comentário:

poemas pensamentos & etc. disse...

Por mais que eu diga ser.
Não sou.
Por mais que eu tente negar o que sou, tenho meu inconsciente a martirizar-me dizendo: É isto, o que tu és.
"jonaspaladino"