domingo, 4 de novembro de 2012

SERES TEMPORAIS



(Fotografia do filme O retrato de Dorian Gray (1945), baseado na obra de Oscar Wilde)


Somos seres temporais:
Estamos presos a uma duração,
Predestinados à não-existência,
Esse é o nosso trágico destino!
Seja mocinho ou bandido:
O tempo sempre o consumirá,
Sem bater na porta e avisar,
Sem ter como pedir socorro!
O findar nos persegue insistente:
A alegria de um dia vivido
Equivale à subtração da duração,
Como um fogo a queimar!
A chama viva e forte do fogo:
Dura... A tudo ilumina a labareda,
Até que a matéria seja consumida:
E... Foi o tempo que durou!

(Por, Saulo Henrique Souza Silva)

Um comentário:

poemas pensamentos & etc. disse...

Na verdade divergimos num ponto;creio que nós humanos temos um algo além, que não nos finda com o fim do corpo.Mais isto é apenas mais um detalhe:um pensamento,algo que nos diferencia dos demais animais vegetais ou mesmo os germes,que nos consomem após a morte da matéria.