domingo, 21 de outubro de 2012

AUSÊNCIA DA LUA DE NETUNO


Por, Saulo H. S. Silva


(Foto da NASA, Netuno e sua Lua) 

São nesses dias de grande solidão
Que as lágrimas inundam a íris,
O sono se mistura com o pesadelo,
O tormento retira a paz desejada
E o peito apertado sufoca o coração.

São nesse dias de grande tentação
Que a falta nos conduz ao tormento
Pela ausência da bela lua de Netuno

A iluminar a longa estrada da vida
E retirá-la de toda essa confusão. 

São dias como esses, dias de cão...
Que se repetem em ciclos incessantes
Pela permanência da distância ferina
A qual, como faca bem afiada, fere a alma
E destrói impiedosamente o corpo malsão.

Ah! São nesses dias de grande emulação
Que o desejo da minha heroína da Tessália,
Perdida por mim mesmo, por meus caprichos,
Aflora avassaladoramente na mente arrependida
E a vida é somente saudade, choro e lamentação.

São em dias como esses, dias de cão...
Que apenas o abraço terno de tua luz,
O beijo quente de teus lampejos de fogo
E o solo firme de corpo tão quente e fogoso
Iluminaria minha vida com apenas um clarão.

Nesses recentes dias eternos da mais triste solidão...

Nenhum comentário: