quinta-feira, 10 de maio de 2012

EU E MEU PAÍS

Por, Saulo Henrique Souza Silva

Quadro "A revolução" do Expressionista alemão Ludwig Meinder  (1884-1966).

Minha pátria, sua história.
Como posso transcendê-la?
Sou filho de seu tempo,
Da cultura, da mistura,
Dos traços de meu país.
Sou, por isso, determinado.
Mas também determinante!
Observador denunciante
Da minha própria realidade
Que sempre tentam velar,
Esconder, a tudo encobrir...
À feia situação que nos assola,
Miséria infinda em meio a tanta riqueza,
Analfabetismo ou alfabetização de brincadeira,
Indústria cultural que o povo embrutece...,
Insistem em nos alienar, deslumbrar,
Com uma bela verdade que não existe. 
Ah! Torpe estrutura malsã,
Por respeito ao povo deste país,
Sou a voz insistente que não cala,
A denúncia de tuas máscaras,
O clamor de revolta,
O impulso contra ti! 

2 comentários:

Marília Menezes disse...

Belíssimo poema Saulo!!! Verdadeiramente instigante! Me proporcionou o contato ainda mais profundo com o espírito de enfrentamento que vive em mim!!!

Saulo Henrique Souza Silva disse...

Pois é Marília, esse espírito de enfrentamento a essa sociedade desigual e corrompida é algo comum entre nós! Não dá para aceitar, tanta riqueza e tanta miséria, tanta possibilidade e muito desperdício. Mas, vamos em frente para mudar essa realidade!