terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O AGORA DOCE DA VIDA




O dia parece calmo... Não é ilusão!

O sol matutino clareou o quarto escuro

Iluminando todas as ideias perdidas.

A brisa praiana que  sopra  suave

Conferiu novo penteado aos cabelos,

Tirando-me um leve e terno sorriso

Que deixou de ser falso e virou verdadeiro!

Assim, longe da atmosfera poluída,

Distante do que eu era, do que já foi,

Engraçado que estava sempre em mim,

Mas cego não desconfiava ou percebia

Que, como mostrava Fellini em La dolce vita,

Por mais complicada que seja a vida é doce!

As  coisas  mudam em poucos instantes,

Os problemas  passam com o  tempo,

E toda aquela tempestade e nevoeiro

Deu lugar às dias alegres e sorridentes

Com fortes tendências a emoções diversas.

E assim, tudo tão calmo, tudo tão bom,

O dia amargo, agora tem novo sabor!

Ah! O medo passou, reviravolta querida!

O sol benfazejo clareou as ideias perdidas,

Presenteou-me com nova, alegre e dolce vita,

E de hoje em diante, as palavras tristes estão,

Por todo sempre, banidas!


(Por, Saulo Henrique Souza Silva)

Nenhum comentário: