quarta-feira, 19 de outubro de 2011

TUA FACE





Por detrás de teus vivos olhos
Procuro impaciente tua face,
Porém nunca sei onde a encontro.
E nesses constantes desencontros
Só descubro alguns de teus vultos
Que refletem, incessante e ininterrupto,
O princípio dualístico do mundo.
Teus humores e paixões se alternam
Semelhante ao insondável vir-a-ser,
E eu inocente procurando te encontrar,
Vislumbrando ver tua verdadeira face.
Mas, como conhecer o que não é idêntico?
Afinal, tu és tão volúvel quanto o mundo,
E assim nunca verei tua verdadeira face,
Somente a mutável transformação de teu ser!

(Por, Saulo Henrique Souza Silva)

Nenhum comentário: