sexta-feira, 28 de outubro de 2011

NATUREZA CONTRADIÇÃO





A folha seca que cai levemente

Fecundando o chão agradecido;

O novo fruto que desabrocha

Vizinho a outro apodrecido;

Enquanto o filhote terno do pardal

É alimento do carcará enfurecido,

As formigas, bem organizadas,  

Devoram, impiedosas, o pão esquecido.

Como o tamanduá tão narigudo

 Sondando o formigueiro desprotegido,

Muitas vezes a dor da morte ferina

Equivale à alegria do viver quase perdido!

E o que seria do carcará rapace

Se não devorasse o filhote inofensivo?

Isto porque na natureza contradição

A morte e a vida é algo bem parecido!


                                                   (Por, Saulo Henrique Souza Silva)

Nenhum comentário: