segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Um Canto à Prudência

Voorzichtigheid/Prudentia de Artus Quellinus (1609-1668)


Cantarei agora à Prudência.

Musa condutora do homem sábio,

Guia sublime de toda ação exitosa,

Inspira-me com a luz de sua sabedoria!


Guia-me pela estrada tortuosa,

Livra-me do funesto, do desvario.

Sede meu norte na vida tortuosa,

Inspira-me com a luz de sua sabedoria.



Oh! Musa de olhos tão claros e oblíquos,

Sede minha companheira perseverante

Nos instantes de profusão e nos mais parcos.


Oh! Conselheira de todos os sábios,

Sede minha cúmplice e fiel amante,

Prenda-me a ti e afasta-me dos ignaros. 

(Por, Saulo Henrique Souza Silva)

Nenhum comentário: