domingo, 14 de agosto de 2011

SONETO PARA ELIS


                 
     Ah, minha pequena e singela menininha,
     Que esperas ser quando crescer?
     Quantos medos atormentar-te-ão em vida,
     Quem lhe livrará do perigo quando eu morrer?

         Ma petite et belle enfant,
        A vida nem sempre será alegria e brincadeira.
        Mas, diante do ignaro e ignóbil acontecimento
        Espero que sempre saia forte e vencedora!
 
                   My little flower tão jovem,
Criaturinha ainda indefesa
Saibas desde já quão cruel é o mundo!
 
        E que tu mesmo agora inocente,
       Cuja alma hoje é tão pura e leve
       Um dia haverá de ser tão pesada como o ferro!

(por, Saulo Henrique Souza Silva)

2 comentários:

ANGÉLICA disse...

Que lindo este Soneto para Elis, fiquei emocionada. Parabéns!!!!

Saulo Henrique Souza Silva disse...

Obrigado Titioca, eu também gosto muito desse texto. Espero que quando Elis crescer goste também...!