sábado, 6 de agosto de 2011

CANTO À DEUSA REVOLTA

 


Por Saulo Henrique Souza Silva

                               

Deusa Revolta,
Afaste-me do conformismo.
Não me deixe ser idiota,
Deusa Revolta!


A calar-me inerte e incapaz,
Que eu prefira falar, gritar, denunciar...
Livre-me Deusa Revolta do sono fugaz,
Torne-me um homem audaz.

Livre-me, igualmente, da felicidade enganosa,
Que me faz ver o mundo envolto em sombras
Com o olhar quieto de uma criança medrosa.


Proteja-me também das alienações:
Da aculturação ridícula, da religião de sanguessugas,
De toda sorte de assombrações, das alucinações...


Vigiai-me Deusa Revolta!

Nenhum comentário: