domingo, 17 de julho de 2011

Soneto à contingência














A contingência é o princípio de tudo!
É o fundamento ininterrupto do mundo
Que move sem ser por nada movido,
O ludibriar a tudo e a qualquer sentido.

A contingência determina tirana o tempo!
É sempre mudança perpétua e sem quando,
Olhe para si e tudo que tens sempre vivido
O cambiar eterno é o que sempre tem existido.

Há poucos instantes chovia tanto,
Agora o sol ilumina o dia soberano.
Ontem eu estava feliz, agora em pranto.

E esse princípio determinante de tudo
Que age em mim modificando alma e corpo,
É o mesmo fator que movimenta o mundo!

(Por, Saulo Henrique Souza Silva)

Nenhum comentário: