quinta-feira, 28 de julho de 2011

BACANTES

Por, Saulo H. S. Silva

[(FELLATIO 2 , por Édouard-Henri Avril (mais conhecido como Paul Avril)  (1906)]
Loucas e alegres elas estavam.
Via-se nas expressões de seus rostos,
Nos gestos e no sorriso maroto.
Enfeitiçadas elas estavam!

Jovens e belas, as duas me conheciam.
Por isso mesmo pareciam nem ligar.
Soltas e leves ensaiavam voar
Às caricias e beijos que sempre trocavam.

E lá estava Eu a lhes fitar e desejar.
Assim, como filho fiel de Dionísio,
Logo quis a elas me juntar.

Então, juntei-me às bacantes em prazeroso voar.
E, sob réprobos olhares de cristãos em festa pagã,
Dançávamos em louvor ao livre amor!




Nenhum comentário: