sexta-feira, 26 de agosto de 2016

AGENDA DO ANO PASSADO

Por Saulo H S Silva



[Equilibrium, do artista plástico estadunidense Jonathan Viner]


                       Faz muito tempo que não escrevia nada,
                       Nem mesmo poemas nas folhas em branco
                       Dos velhos cadernos de anotações perdidas.

                      De repente, não desejava registrar nada
                      Porque a essência da poesia era irregistrável,
                      E eu não conseguiria exprimi-la por palavras.

                     Não era só poesia, não escrevia absolutamente nada!
                     Nem mesmo memórias em agendas de anos passados,
                     De modo que não sei muito bem como foram os dias.

                      Mas não quer dizer que por não escrever nada
                      Eu não via e nem tinha experiências das coisas;
                      Ao meu redor, tudo estava repleto de poesia!

                       Só não escrevia porque não existia interesse em nada,
                       As coisas eram mornas e não havia espanto nas imagens que via;
                       Não estava triste, nem alegre e lentamente se passavam os dias.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

POLUÇÃO NOTURNA


Por Denise Pereira




[Auguste Rodin: The Ascension of Psyche into Heaven]



Olho no fundo dos teus olhos,
Sinto tua respiração em minha face,
E enquanto dançamos percebo sua virilidade:
Dois corpos em um só movimento ao som do prazer.

Fico então a querer você nu e teso só para mim,
Para que eu possa deslizar as mãos por teu corpo
E com a boca sugar todo o regalo que aprecio,
Ao passo que tu estremeces em puro deleite!

Eu ponho à prova os teus instintos ferinos,  
E Sinto dentro de mim seu vai e vem infinito!
Pronto para jorrar o maná dos deuses
E me fazer feliz em múltiplos gozos.

Foi quando acordei excitada, porém assustada.
Percebi que tudo não se passou de um sonho!
Mas um sonho bom que quero realizar.
Beijar em tua boca, enfim, quero te amar.

Espero que não negues a minha Súplica,
Pois, imploro! Seja meu! Somente meu!
Não consigo parar de te desejar!
Por favor, suplico! Deixa eu te amar?!